Cultura de segurança: entenda e saiba como aplicar - DuaPi Epi

Blog Conteúdos sobre gestão de EPIs,
segurança do trabalho e novidades do segmento.

Publicado em 22 de dezembro de 2021 na categoria #Artigos

Cultura de segurança: entenda e saiba como aplicar

cultura de segurança

Você conhece o conceito de cultura de segurança? Muitas pessoas entendem essa cultura organizacional como programas e ações contra quedas, por exemplo. Porém, ela é muito mais do que isso. Atualmente, entende-se que esse conceito abrange diversas ações, hábitos e condutas que buscam fortalecer a segurança no trabalho.

E o ideal é que ela esteja presente no dia a dia de cada colaborador. Isso porque não é tarefa apenas de alguns, ou dos gestores. A melhor forma de fortalecer a cultura de segurança dentro da empresa é garantindo com que ela atinja a todos.

Se executada de forma correta, é possível reduzir amplamente o número de acidentes de trabalho na empresa, por exemplo, além de outros benefícios. Sendo assim, a cultura de segurança é essencial para que seja possível melhorar ações e práticas preventivas para a saúde e segurança dos trabalhadores.

Em resumo, a ideia segue uma linha de pensamento que se inicia nos valores da empresa. Então, são vistos regras e procedimentos, seguidos dos ideais de liderança. A partir daí, é preciso ficar de olho no reconhecimento e nas formas de engajar a equipe de trabalhadores.

Porém, nunca se esqueça de que todos possuem direito de recusa e precisam se comunicar abertamente. Ao seguir essas direções, a sua cultura de segurança pode ser elaborada de maneira simples e efetiva. O principal é entender que ela deve fazer parte do dia a dia de trabalho das equipes.

O que é a cultura de segurança?

A cultura de segurança pode ser definida como um grupo de hábitos e ações a serem praticados pelas equipes de trabalho de uma empresa. A ideia é justamente minimizar os perigos à integridade dos trabalhadores, prevenir acidentes e saber como proceder em casos de risco.

Em resumo, o objetivo dessa cultura é diminuir riscos e evitar situações de perigo durante as atividades trabalhistas. Porém, não são apenas riscos físicos que devem ser vistos pela cultura de segurança. Assim, dados importantes para a empresa também fazem parte dos hábitos e ações de segurança.

Em geral, essa cultura é desenvolvida pelos responsáveis pela Saúde e Segurança do Trabalho (SST) na empresa. Assim, o dever fica a cargo do Téc. de Segurança do Trabalho (TST). Para tanto, é preciso que esses profissionais estejam a par da rotina de trabalho da empresa.

Dessa forma, é possível organizar protocolos eficientes e que se mesclem com a forma de trabalhar de cada equipe. Isso garante com que seja possível evitar os riscos de forma mais eficiente e segura. Porém, ainda é preciso entender que protocolos de segurança e cultura de segurança são conceitos diferentes.

cultura de segurança

A principal distinção é que a cultura de segurança não indica apenas seguir regras e instruções pré-determinadas, como é o caso dos protocolos. Na verdade, é justamente o contrário. A ideia é inserir a cultura de segurança na empresa de forma que ela faça parte da rotina de trabalho.

Então, o importante é enraizar as práticas, conceitos e ações na percepção dos trabalhadores. O ideal é que essas ações ocorram de forma instintiva, e a proteção seja fortalecida de forma natural. Assim, é mais fácil de sintonizar toda a equipe com as práticas mais seguras.

Existem benefícios?

Será que é possível gerar benefícios ao trazer a cultura de segurança para dentro da empresa? Para responder essa pergunta, é ideal entender quão problemáticos são os acidentes de trabalho. Isso porque, além das implicações na saúde do trabalhador, eles afetam a produtividade da equipe como um todo.

Essa queda na eficácia do trabalho aumenta de acordo com a gravidade do acidente, principalmente se ele afeta de forma permanente o acidentado. Assim, um trabalhador que sofreu um acidente não é a única baixa na produtividade, mas pode servir para causar preocupação em todo o resto da equipe.

Dessa forma, uma cultura de segurança bem implementada vai auxiliar em casos como esse. A ideia é determinar quais são as melhores formas de seguir com o trabalho após acidentes, de forma natural, segura e eficiente. Esse acaba sendo o principal benefício da cultura de segurança.

Outra vantagem tem relação com situações de imprevisto. Esse benefício tem ligação com o compartilhamento de informações sobre o que fazer em momentos de dificuldade, como acidentes. Assim, os trabalhadores podem seguir as instruções e garantir a melhor solução para o problema, evitando pânico, estresse e mais riscos.

Algum tempo após a implantação e execução da cultura de segurança, será possível notar uma diminuição dos riscos no ambiente de trabalho. O resultado disso? Os trabalhadores passam a confiar mais na capacidade dos colegas e da própria empresa de lidar com situações de risco.

Assim, trabalha-se de forma mais eficiente, gerando melhores resultados. Além disso, as equipes se aproximam mais, criando ambientes de trabalho mais acolhedores, compreensivos e engajados. Em resumo, o maior benefício da cultura de segurança é justamente um ambiente seguro e próspero.

Confira 7 dicas para melhorar a cultura de segurança na empresa

Agora você sabe o que é a cultura de segurança e a importância de levá-la para dentro do local de trabalho. Para complementar, confira abaixo as nossas 7 dicas de como implantar esse conceito na rotina de trabalho da sua empresa.

Segurança como valor fundamental

Antes de mais nada, é preciso entender que a segurança não deve ser apenas uma prioridade. O ideal é que ela seja mais do que isso, e passe a ser considerada como um dos valores fundamentais da empresa.

Isso porque, como você sabe, as prioridades podem ser alteradas de tempos em tempos. Por outro lado, os valores da empresa devem ser sempre os mesmos, ainda que os anos passem.

Sendo assim, caso a segurança esteja entre os valores essenciais, sempre vai ser considerada em qualquer decisão importante da empresa. Dessa forma, todos os espaços e setores da empresa poderão ser construídos e mantidos com base na segurança.

Líderes que participam do processo diário

Para uma boa cultura de segurança, é preciso que os líderes da empresa estejam presentes no dia a dia de trabalho. Uma liderança ativa é essencial para que seja possível planejar e aplicar as ações de segurança com eficiência.

E pode parecer que é pouca coisa, mas o envolvimento dos líderes nesse processo é importante para que todos os colaboradores se sintam motivados. As empresas são responsáveis pelo trabalho seguro, e nada mais justo do que inserir os gestores nesse processo.

Através da participação ativa, é possível trabalhar em cima do conceito de que todo acidente é evitável. Então, em conjunto com os colaboradores, os líderes devem realizar as ações necessárias e participar de forma direta das atividades de segurança.

Engajamento de toda a equipe

Não são apenas os líderes que devem estar sempre presentes em todo o processo. É claro que o estimulo precisa vir de cima, mas os trabalhadores também devem se envolver com a cultura de segurança. A ideia é que todos participem, deem sugestões, auxiliem nos processos, enfim.

Então, é interessante que os gestores pensem em um ambiente que gera espaço para que os trabalhadores possam ter voz. Afinal, são eles que participam, diariamente e de forma prática, dos processos de trabalho e, caso necessário, de segurança. Uma bom exemplo é envolver os trabalhadores nas auditorias internas.

Assim é possível organizar um ambiente onde todos são responsáveis pela segurança individual e coletiva. Apenas assim você poderá garantir com que todos saibam como prevenir e remediar os riscos do trabalho. O resultado final são processos de trabalho realizados de forma natural e segura.

Treinamentos em dia

Lembre-se de que não basta apenas planejar e implantar a cultura de segurança. É preciso instruir os colaboradores, para que entendam exatamente como tudo deve ocorrer. Sendo assim, nada mais justo do que ficar de olho nos treinamentos vitais para que isso seja possível.

O ideal é que sejam realizadas capacitações periódicas. Dessa forma, é possível engajar os trabalhadores na causa, além de ensiná-los sobre práticas, rotinas e ações, tudo de forma correta. Além disso, a empresa passará uma boa imagem: a de que se preocupa com a segurança de todos.

A melhor parte é que, com os treinamentos corretos, os trabalhadores podem atuar de forma mais eficaz. Isso porque, ao saberem como são os processos, entendem com mais facilidade quais são os riscos a serem combatidos e o que fazer em caso de acidente.

tela duapi epi gestão e controle de epi

Uma boa forma de garantir as capacitações da sua equipe é com um bom software de controle de EPI. O DuaPi EPI, por exemplo, conta com um módulo de Gestão de Treinamento. Com ele, você poderá gerenciar melhor os treinamentos necessários para os trabalhadores.

Processos simplificados

Existem bons motivos para que você divida seu programa de segurança em diversos outros subprogramas? Em geral, a resposta é não. Isso ocorre por conta da facilidade em partilhar informações contidas em único programa.

É muito mais fácil de confundir seus colaboradores se eles precisarem acompanhar diversos itens diferentes, para cada tipo de função ou maquinário, não é? Então, tente facilitar a vida de todos e faça com que tudo esteja disponível em um só lugar.

Assim você simplifica a gestão de riscos, além de acelerar a absorção de conhecimentos de segurança por parte dos trabalhadores. A ideia é justamente criar um ambiente que priorize o bom trabalho de todos, prevenindo situações de risco e, se necessário, remediando acidentes.

Abordagem racional

Nada de construir sua cultura de segurança com base apenas na abordagem emocional. É claro que ela é importante, mas nem sempre funciona, ou costuma ter prazo de validade. Então, a melhor tática é utilizar uma postura racional e coerente.

Mas com fazer isso? Comece pela coleta de dados e informações importantes para a segurança da empresa. Com esses números em mãos, é possível organizar os processos de segurança de forma assertiva, direta e efetiva. A ideia é trabalhar em cima de resultados e fatos, e não de especulação.

Lembre-se dos principais pontos da cultura de segurança

Por fim, o ideal é que você nunca se esqueça dos principais itens da cultura de segurança. É com esse conhecimento que você vai poder garantir a saúde e segurança dos colaboradores, reduzindo os perigos no ambiente de trabalho. Confira quais são:

  • Planejamento da cultura de segurança;
  • Organização das ações, supervisão, etc;
  • Liderança consciente e inspiradora;
  • Inspeção e investigação de equipamentos e procedimentos;
  • Correção e instrução do que está sendo feito de maneira errada;
  • Dar o bom exemplo e elogiar boas ações;
  • Avaliação do programa e implementação de melhorias.

Ao seguir essa linha de raciocínio, fica muito mais fácil de implantar uma boa cultura de segurança na sua empresa. Assim, seus funcionários percebem que a gestão se preocupa com a segurança e bem-estar de todos. Com isso, os níveis de produtividade sobem, enquanto o de acidentes cai.

Compartilhe este post:
Deixe seu comentário:Deixe seu comentário: