EPI e EPC: entenda as diferenças e semelhanças - DuaPi Epi

Blog Conteúdos sobre gestão de EPIs,
segurança do trabalho e novidades do segmento.

Publicado em 30 de maio de 2022 na categoria #Artigos

EPI e EPC: entenda as diferenças e semelhanças

diferenças entre epi e epc

Você sabe que os acidentes podem ocorrer em qualquer local de trabalho, correto? E provavelmente sabe que é preciso preveni-los. Para tanto, é comum que as empresas utilizem EPI e EPC. Mas quais os usos de cada tipo de equipamento? E será que existem diferenças entre eles? E semelhanças?

Em um primeiro momento, esses detalhes parecem não serem tão importantes assim. Mas é aí que você pode se enganar e ter uma grande surpresa. Cada EPI deve ser utilizado para fins específicos. Também é o caso dos EPCs.

Portanto, nada mais justo do que conhecer as diferenças entre os tipos de equipamentos de proteção. Além disso, essas informações podem auxiliar a utilizar os itens de forma que se complementem. Outro ponto é saber quando usar cada tipo de EPI. Acompanhe o texto e saiba mais.

Para que servem EPIs e EPCs?

Antes de entender as diferenças entre EPI e EPC, é preciso saber para que eles servem e como atuam. Assim, o conceito mais básico é que cada um dos grupos de equipamentos possui um único objetivo compartilhado: proteger o trabalhador.

Sendo assim, ambos os tipos de equipamentos servem para que a empresa possa garantir a integridade física dos seus colaboradores. E lembre-se: essa é uma obrigação da empresa, de acordo com o que diz a NR-6.

Mas, não veja o fornecimento dos itens apenas como uma obrigação legal. Pense na segurança da sua equipe de colaboradores. Afinal, eles são parte muito importante para que a empresa funcione.

Além disso, com o uso correto dos EPIs e EPCs, a empresa economiza em caso de acidentes de trabalho. Isso porque o número de ocorrências é reduzido com o uso dos equipamentos. Além disso, cada caso ter a sua letalidade diminuída.

Diferenças entre EPI e EPC

Mesmo tendo conceito semelhante, existe uma diferença crucial. É que os EPIs atuam na proteção direta do colaborador, minimizando acidentes e riscos físicos. Já os EPCs são utilizados para a proteção coletiva do ambiente de trabalho. Eles também indicam riscos presentes no ambiente.

Uma boa forma de memorizar essa diferença é pensar nos EPIs como agentes na luta contra os riscos ocupacionais. Por exemplo, um respirador auxilia, de forma direta, na proteção dos trabalhadores contra vapores e gases perigosos durante a execução das atividades de trabalho.

No caso dos EPCs, a lógica é diferente. A ideia inicial é que eles atuem como uma forma de alertar sobre o perigo para os trabalhadores da área. Dessa maneira, encontramos cones e faixas de aviso, por exemplo.

Mas eles também podem proteger, de forma direta, a equipe de trabalhadores, como no caso da isolação acústica. Outro EPC bem comum são as redes de proteção para trabalhos em altura, guarda corpo e corrimão.

epi x epc

Um detalhe importante é que o uso de EPI não exclui o uso dos EPCs, e vice-versa. Isso significa que, dependendo dos riscos e perigos presentes no local de trabalho e nas tarefas diárias, será preciso usar os dois. Saiba mais sobre cada tipo de equipamento abaixo.

O que é EPI?

Os EPIs costumam ser mais conhecidos pelas pessoas. Isso porque eles costumam aparecer mais em diferentes mídias. EPI é a sigla para Equipamento de Proteção Individual. Eles são utilizados para minimizar os riscos à sua saúde e segurança do trabalhador.

Fornecer EPIs de forma gratuita é obrigação das empresas. O que indica isso é a NR-6. Eles devem estar de acordo com os riscos do ambiente de trabalho. Ainda segundo a norma, isso deve ocorrer em três situações distintas:

  • Quando as medidas de segurança geral não conseguem proteger completamente contra os riscos de acidentes no local de trabalho;
  • Se os EPCs ainda estão sendo implantados;
  • Atendendo situações de emergência.

Em resumo, os EPIs precisam ser ofertados em casos onde não é possível garantir a total eliminação dos riscos do local de trabalho. Dessa forma, é possível perceber que até neste momento EPIs e EPCs possuem alguma relação.

tipos de epi

O que é EPC?

Já no caso dos EPCs, nem todo mundo sabe o que eles são, ou ainda que eles existem. Isso pode ocorrer pela própria natureza de uso desse tipo de equipamento. Instalados no ambiente de trabalho, eles visam a proteção coletiva.

Dessa forma, como estão mais distantes do trabalhador do que os EPIs, podem passar despercebidos – o que é um perigo -. EPC é a sigla para Equipamento de Proteção Coletiva, e o uso comum desses itens é a principal diferença.

Sendo assim, é possível afirmar que, ao contrário dos EPIs, os EPCs miram na redução – ou eliminação total – dos acidentes. A principal vantagem do EPC é que ele garante a segurança mesmo em casos onde o trabalhador não atua de forma segura.

tipos de epc

Existem leis sobre EPI e EPC?

Quando se fala sobre equipamentos de proteção coletiva/individual, muitas empresas possuem dúvidas sobre as leis relacionadas à esse tipo de item. Mas, saiba que ambos os grupos de dispositivos de segurança possuem respaldo legal.

Isso ocorre através de algumas normas regulamentadoras, ou NRs. Diversos fatores auxiliam na recomendação de uso. Entre eles, a eficácia na proteção que um EPI e um EPC oferecem. Além disso, é uma forma da empresa garantir a segurança e integridade dos colaboradores.

Leis sobre EPI e EPC

Acima você confere quais são as NRs que citam cada tipo de equipamento. No caso dos EPIs, a NR-6 é quem os regulamenta, indicando até o fornecimento obrigatório. Além disso, essa norma também aponta a obrigatoriedade de ensinar os trabalhadores sobre o uso correto de cada item.

Já para os EPCs, as normas que os citam são: 4, 10, 12 e 33. Cada uma delas aponta situações diversas, até específicas, que exigem o uso de EPC. Assim como na NR-6 e os EPIs, a instalação dos EPCs é de responsabilidade da empresa.

Garanta a segurança dos seus colaboradores

Por fim, vale ressaltar que a segurança dos colaboradores só é realmente eficaz quando EPI e EPC são utilizados de forma correta. Se necessários, eles devem ser utilizados em conjunto.

Dessa forma, você garante a integridade física e a saúde dos trabalhadores e um ambiente de trabalho seguro e confortável. Além disso, se a empresa ofertar os itens de segurança necessários de forma correta, poderá se proteger contra ações trabalhistas.

Compartilhe este post:
Deixe seu comentário:Deixe seu comentário: