Setembro amarelo e a prevenção da depressão no trabalho - DuaPi Epi

Blog Conteúdos sobre gestão de EPIs,
segurança do trabalho e novidades do segmento.

Publicado em 3 de setembro de 2021 na categoria #Artigos

Setembro amarelo e a prevenção da depressão no trabalho

setembro amarelo depressão no trabalho duapi sistemas

O Setembro Amarelo busca conscientizar a população sobre a prevenção do suicídio. E é preciso falar sobre o tema até mesmo na sua empresa, principalmente pela ligação da campanha com a depressão no ambiente de trabalho.

Atualmente, o Brasil tem a 2ª maior taxa de deprimidos das Américas. De acordo com dados da OMS, 5,8% da população brasileira sofre com essa doença. Apenas os Estados Unidos registraram uma taxa levemente maior, com 5,9%.

Já na América Latina, o Brasil é o campeão em casos de depressão. E essa doença brutal é uma das maiores causas para o assustador número de suicídios no país: aproximadamente 12 mil por ano.

Recentemente, a depressão foi reconhecida como doença ocupacional. Assim, é preciso abrir espaço para o debate nas empresas, indicando que não existem só as doenças de origem física.

Mas antes, é preciso entender o que é o Setembro Amarelo e como utilizá-lo nas empresas para falar sobre depressão. Abaixo você confere mais sobre o assunto.

O que é o Setembro Amarelo?

O dia 10 de setembro marca o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Por conta disso, o mês ficou conhecido como Setembro Amarelo. A campanha foi criada em 2015 pelo CVV, em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria e o Conselho Federal de Medicina.

CVV

Hoje em dia, os dados sobre a depressão alcançaram patamares preocupantes. Com isso, o suicídio já é considerado um problema de saúde pública, e dos mais graves. Porém, em muitos dos casos, ele pode ser evitado.

Sendo assim, a ideia da campanha é informar e trazer mais visibilidade sobre o tema. Assim, é possível conscientizar a população como um todo sobre a importância da prevenção ao suicídio.

O que é a depressão?

A depressão é uma psicopatologia, ou seja, uma doença do campo mental, que faz com que os pacientes estejam sempre desconfortáveis e angustiados. Assim, ela é uma doença grave e precisa ser diagnosticada e tratada o quanto antes.

É importante diferenciar a depressão da tristeza, que é apenas momentânea. Já os sintomas da depressão duram muito tempo, e incluem dificuldades para se concentrar, de memória e lentidão.

Entretanto, você deve saber que a depressão pode aparecer de diversas maneiras, e cada paciente pode demonstrar sintomas diferentes. E o pior, é que as pessoas não costumam falar sobre a sua depressão, na maioria dos casos.

É aí que entra a importância do Setembro Amarelo, seja onde for. Em casa, no trabalho ou em um encontro com amigos, a depressão pode estar ali, sem ser notada. É preciso conscientizar sobre o tema, e essa é a proposta da campanha.

O setembro amarelo e os perigos da depressão nas empresas

O Setembro Amarelo vem conquistando cada vez mais espaço nas mídias, principalmente por conta da internet. Mas será que a campanha também é vista nas empresas? E mais importante: será que os trabalhadores sabem que o ambiente pode ter relação com a depressão?

Lembre-se de que, em muitos locais, falar sobre depressão e suicídio ainda é um tabu gigantesco. Ela é, muitas vezes, vista como “preguiça” ou uma forma de chamar atenção.

Portanto, é papel das empresas levar o Setembro Amarelo para dentro do ambiente trabalhista. É possível utilizar folhetos, palestras e diversas outras formas de levar o conteúdo aos colaboradores.

Além disso, os gestores também devem pensar em campanhas e formas de melhorar o acolhimento no local de trabalho. Isso porque um colaborador deprimido precisa de ajuda, e costuma não ter vontade para nada, nem trabalhar.

A pandemia intensificou a solidão

Além de tudo isso, também é preciso lembrar que a pandemia da Covid-19 intensificou a solidão de muitas pessoas. Em geral, quem mora só acaba sentindo mais o peso do isolamento, o que pode acentuar casos de depressão, ou ainda criar novos.

depressão no trabalho

E essa sensação de isolamento pode se estender para o ambiente de trabalho, também. Isso porque, como você sabe, uma das medidas de contenção do coronavírus é o distanciamento social.

Assim, trabalhadores foram reorganizados em suas estações de trabalho. Quem se sentia só, acabou ficando ainda mais afastado. Portanto, como parte da gestão da empresa, é preciso ter isso em mente.

Qual a responsabilidade das empresas?

Antes de cobrar melhores resultados de um funcionário que pode estar deprimido, é preciso pensar nos fatores citados acima. O ideal é que você tenha em mente que a depressão é uma doença séria e devastadora.

Portanto, nada de punir funcionários por baixo desempenho sem antes entender a causa da situação. É preciso tomar atitudes que favoreçam a prevenção da doença, bem como facilitem a identificação e tratamento dos trabalhadores deprimidos.

Também é importante entender que a depressão no ambiente de trabalho pode até resultar em acidentes com maquinário e problemas físicos. Isso porque a pessoa vai estar com os pensamentos distantes, fora do local de trabalho, podendo sofrer um acidente de trabalho.

Como identificar a depressão em um colaborador?

Nem sempre uma pessoa deprimida consegue conversar sobre o tema, ou se abrir e falar sobre seus sentimentos. É por isso que gestores e colaboradores precisam saber como identificar a depressão e o que fazer para ajudar.

Um dos sintomas mais perceptíveis está nas mudanças de comportamento que podem ocorrer. Em geral, quem vai percebê-las são os colegas de trabalho mais próximos, ou líderes de setores.

Também é possível prestar atenção em quedas de desempenho e na forma como o colaborador depressivo interage com a equipe. Ambos os sintomas estão relacionados às mudanças de comportamento. Confira outros sintomas:

sintomas depressão no trabalho duapi sistemas

Entretanto, é importante lembrar que ainda é preciso que um profissional especializado faça a avaliação do colaborador. Assim será possível confirmar as suspeitas de depressão.

Mesmo assim, todos os trabalhadores e gestores devem estar cientes de como identificar e confortar os colegas depressivos. Isso porque o setor de RH não pode estar em todos os lugares para acompanhar as mudanças comportamentais.

É possível evitar a depressão no ambiente de trabalho?

Sim, é possível agir para prevenir casos de depressão motivados pelo trabalho. Para tanto, a empresa deve implantar ações e campanhas de conscientização. Como você viu acima, todos devem saber como identificar a doença nos colegas de trabalho.

Para tanto, os gestores e o setor de RH podem desenvolver programas de assistência para trabalhadores deprimidos. Outras iniciativas incluem:

  • Valorizar os colaboradores, de forma individual e como equipe;
  • Incentivar atividades de capacitação e especialização com a gestão de treinamento;
  • Avaliar o ambiente de trabalho como um todo;
  • Implantar uma cultura de feedbacks e abrir espaço de fala para todos;
  • Identificar os sintomas em cartazes ou locais de fácil visualização;
  • Revisar cargos e salários de forma justa para motivar o trabalho;
  • Ofertar planos de saúde que cubram tratamento psicológico e psiquiátrico;
  • Treinar líderes justos e comprometidos, que cuidem da equipe.

Com essas dicas, somadas à investimentos em programas de qualidade de vida, é possível trabalhar com um ambiente positivo. Outra ideia é incentivar as atividades físicas e implantar horários de descanso durante o expediente.

Assim, os colaboradores se sentem mais acolhidos e a empresa ganha com menos afastamentos. A produtividade também será melhorada, além da qualidade do trabalho em geral.

Por fim, é possível ofertar acompanhamento profissional para esses casos. Você pode usar o Setembro Amarelo para criar ações direcionadas e seguir a partir disso.

Cuide do clima organizacional mesmo fora do Setembro Amarelo

Para complementar, você também precisará ficar de olho no clima organizacional da sua empresa. Isso porque, com ou sem Setembro Amarelo, o ideal é que ele seja sempre positivo. Mas nem sempre essa é a realidade.

clima organizacional duapi

Portanto, é preciso que os gestores saibam como direcionar a companhia, a fim de promover a Segurança e Saúde no Trabalho. A ideia é impedir a proliferação de um ambiente negativo e tóxico, e cultivar um local de trabalho positivo e acolhedor.

Atualmente, existem 3 tipos de ambientes de trabalho mais comuns. Abaixo você conhece quais são, para que seja possível identificar como anda o clima organizacional na sua empresa e fazer o necessário para melhorar.

Ambiente negativo

São diversas as influências que podem gerar um ambiente de trabalho negativo. E elas podem ser internas ou até externas.

Entre elas, estão as crises econômicas, má gestão, enfim. Isso acaba criando um ambiente tóxico, repleto de insegurança e insatisfação.

Nesses casos, é comum ouvir fofocas e um clima de pessimismo generalizado, principalmente quando se fala em demissões. Os trabalhadores costumam não cumprir com suas responsabilidades, temendo pelo pior.

Ambiente neutro

Sabe aquela sensação de “tanto fez, tanto faz”? Então, é assim que são os locais de trabalho neutros: repletos de apatia.

Isso porque o envolvimento com a empresa e suas causas é praticamente zero. Os trabalhadores apenas fazem o que são obrigados a fazer, e ignoram os objetivos da organização, além dos colegas de trabalho.

Uma boa forma de perceber um ambiente de trabalho neutro é que as pessoas costumam não demonstrar interesse em nada. Críticas, elogios, nada disso existe, e cada um cuida apenas de si.

Ambiente positivo

Por fim, os ambientes positivos são os ideais. Aqui, os trabalhadores interagem entre si, sem julgamentos, mas com afeto e cuidado. Dessa forma, eles se sentem mais incentivados a trabalhar e fazer o seu melhor.

Além disso, eles pensam no coletivo. Isso significa que todos estão alinhados com os objetivos da empresa, e trabalham em equipe para alcançá-los. A produtividade é maior, e os resultados negativos praticamente somem.

O Setembro Amarelo e o RH

Para que o seu clima organizacional seja sempre positivo, é preciso contar com um bom time de RH. Isso porque esses profissionais são essenciais na hora de identificar problemas e preparar ações relacionadas à prevenção da depressão.

Sendo assim, durante o Setembro Amarelo, a empresa deve proporcionar a interação entre o setor de RH e o resto dos colaboradores. Porém, isso também deve ocorrer durante o ano todo.

Os profissionais de RH são essenciais para que seja possível identificar trabalhadores com possíveis sinais de depressão. Entretanto, é claro que eles não são os únicos, e todo mundo deve colaborar.

setembro amarelo depressão no trabalho

Então, o ideal é que a empresa promova ações para valorizar o trabalho e a presença de cada colaborador. Dessa forma, fica mais fácil de criar um ambiente positivo e acolhedor, onde todos tem espaço e voz.

Ações preventivas

Nesse contexto, a função do RH será de criar e promover essas ações. Assim, o trabalhador poderá ter um expediente mais controlado, facilitando a assimilação dos acontecimentos de um dia exaustivo.

E é claro que será preciso implantar programas para a conscientização da depressão e do suicídio. Ele deve informar quais as formas de evitar a doença, quais são os sintomas e como prosseguir caso eles sejam notados.

Começar do zero pode ser difícil, mas é necessário para que a empresa possa avançar em direção aos cuidados com a saúde mental. Como você viu, não são apenas as doenças físicas que devem ser consideradas.

Os resultados podem levar tempo, mas aparecem. Com um bom ambiente de trabalho, todos podem manter a saúde mental em dia, e a produtividade é maior.

Além disso, o engajamento entre a equipe aumenta e cria-se uma rede de suporte para quem precisa. Para isso, basta que a empresa não se preocupe apenas com os números, mas sim com as vidas que produzem esses resultados.

Compartilhe este post:
Deixe seu comentário:Deixe seu comentário: